28 de julho de 2017

Tudo é Reação




E sequer um cigarro aceso no mundo queima em vão. Nenhuma mão se movimenta voluntariamente para acendê-lo, se não para espantar o indesejável.

Garrafas vazias são sempre cheias de causas e consequências de causas. Todos os cortes retilíneos deixam escorrer a alma. Ou vice versa. Um quilo a mais nunca é só um quilo a mais. Um a menos também não. O stress não é repentino e a apatia tem um passado. Tudo é reação.

Um sonho interrompido é uma lembrança distante, como a de quando planejávamos dominar o mundo com o pessoal da terceira série; é uma saudade profunda daquilo que jamais se viveu. Palavras não são só palavras quando escritas no papel do ser que se é. Mas e quando não é ou não se conhece ainda? Ser o que? Ser mais, é o plano de todos para o futuro. Mas, pasme, o futuro não existe, ele é apenas uma imaginação abstrata e borrada numa moldura trincada. Trincada. Trincada. Um eco que faz repetir o medo de não conseguir alcançá-lo. Um choro ou um riso não são fundos fotográficos, penso e creio e defendo e bato o pé que são os extremos da alma querendo se expor. E tudo é questão de passado, e tudo é baseado nele, tudo que é, um dia, já foi e se fez ser. Meu Deus, que confuso. É puro caos, as pessoas.

Somos tudo o que não sabemos expor mas tentamos, em prol de um encaixe perfeito. A vida é feita para acabar e de nada adianta a renúncia e a bússola, o que não tem fim é o tempo, e só – e o que fica pairado sob as estrelas, enquanto um único olhar mira para cima de sua cabeça, após o fim que antecede o seu. Vai saber se questionando o invisível, aprende-se o que sempre se passou despercebido…

... Mas, independente de todo o incomensurável (roubo a frase de Lispector): A vida come a vida. Então, de repente, cantiga de ninar e brisa fria sopra o para sempre.
   É como eu sempre digo, desde que observei: Viver é um suicídio
- Joyce Lima

2 comentários:

  1. Li e me me veio uma música que, em uma versão ao vivo, Drexler diz que "pero una cancíon pasada en la ley de la conservasion de la massa e de la energia, por Antonie Lavossier, un quimico francês de século XVIII que dijo en sú enunciado "en un sistema cerrado, nada se crea, nada de destruye, todo se transforma"" o qual eu não achei versão no youtube (que, na verdade, parte dessa frase foi, brutalmente cortada na versão MP3 que eu tenho, pois parte do enunciado está na música Disneylandia), mas enfim... me alonguei e a música é essa:

    https://www.youtube.com/watch?v=QfhEKpFiepM


    ps.: sua música me lembrou aquelas de comercial da budweiser, no fim fiquei esperando "This Bud is for you.", acho que a publicidade me afetou, tengo miedo.

    ResponderExcluir

Obrigada por partilhar comigo, o que você pensa!